COMBATENDO A CORRUPÇÃO – O sistema e-Prevenção foi lançado no início de abril para apoiar o desenvolvimento das ações contempladas no Programa Nacional de Prevenção à Corrupção (PNPC).

A aplicação veio como apoio para que mais de 18 mil organizações federais, estaduais e municipais, dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário pudessem instituir boas práticas de prevenção a corrupção internacionalmente adotadas.

Capão Bonito efetuou sua adesão no início do último mês de agosto, após manifestação do Controlador Interno da municipalidade.

O assessor Executivo de Relações Institucionais – Matheus Francatto, após alimentar o sistema e-Prevenção com as informações fidedignas à realidade da cidade, concluiu dentro do prazo – prazo este recentemente prorrogado para 20/09 – e recebeu um Diagnóstico da Suscetibilidade à Fraude e à Corrupção e a autorização para uso da Marca/Selo de participante do Programa Nacional de Prevenção à Corrupção – PNPC.

“O relatório é para o uso exclusivo da Prefeitura Municipal de Capão Bonito e seus resultados não serão divulgados individualmente”, explicou Matheus Francatto.

O Plano de Ação possui previsão de ser disponibilizado para a Prefeitura em meados de novembro de 2021, quando o e-Prevenção possibilitará aos gestores municipais:

  • Avaliarem as boas práticas de prevenção à corrupção, dentro do conceito de

autosserviço em auditoria;

  • Terem acesso a sugestões para a implementação de melhores práticas,

como modelo de documentos e minutas, vídeos, treinamentos e exemplos de

  • Quem já implementou essas práticas e assim desenvolver suas próprias

soluções.

O prefeito Júlio Fernando (PODEMOS) destacou que: “nas gestões de 2009/2012 e 2013/2016 as ações foram profícuas visando sempre austeridade, transparência e respeito ao dinheiro público, agora com este sistema poderemos avançar no combate e prevenção à corrupção e à fraude, e principalmente, aprendermos sobre como melhorarmos a Administração Municipal. “Em 8 anos de gestões passadas nossas 8 prestações de contas foram aprovadas e não respondemos nenhum processo judicial por atos de improbidade administrativa. A honestidade é nosso dever enquanto agentes políticos e servidores do povo no âmbito da Administração Pública”, afirmou o prefeito.