Em meio à pandemia do coronavírus, a Secretaria Municipal de Saúde segue agindo também no combate a mais uma doença perigosa que é a dengue. Os agentes de combate a endemias de Capão Bonito fazem bloqueios em bairros do município onde se tem registrado casos suspeitos de dengue, para eliminar os criadouros do mosquito Aedes Aegypti.

Utilizando materiais de segurança contra o Covid-19, como as máscaras e luvas, os agentes trabalham de casa em casa para conscientizar a população sobre a importância de se prevenir contra a dengue.

De acordo com a Vigilância Epidemiológica, até o momento, Capão Bonito registra três casos importados de dengue, ou seja, de pessoas que contraíram a doença em outros municípios e, para que a situação continue assim, é imprescindível a colaboração da população.

O trabalho também continua em 33 Pontos Estratégicos cadastrados, que são  visitados quinzenalmente.

“Pedimos aos munícipes que colaborem durante esse período de quarentena do coronavírus, fazendo limpeza em suas casas. É importante fazer essa vistoria dentro e fora da residência e eliminar os possíveis criadouros do mosquito”, explicou a coordenadora dos agentes de endemias e interlocutora das arboviroses de Capão Bonito, Claudia Cristina.

“É essencial também que os moradores recebam o agente de combate a endemias e sigam todas as orientações transmitidas por eles. Sabemos que passamos por um momento delicado da Saúde com o coronavírus, mas não podemos nos descuidar com a dengue e precisamos ficar atentos para que não se torne uma epidemia e ofereça ainda mais perigos à população”, alertou a coordenadora.

Contato

Qualquer dúvida em relação à dengue e os devidos cuidados devem ser obtidos através da Vigilância Epidemiológica, pelo telefone 3542-2157.

Sintomas

Os sintomas da dengue são febre alta, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor nas articulações, dor abdominal, vômito, algum tipo de sangramento e manchas vermelhas na pele.

Se apresentar febre mais dois ou três desses sintomas, procurar atendimento médico imediatamente.

Prevenção

As principais medidas para eliminar os criadouros do Aedes Aegypti, são:

– Manter bem tampados tonéis e barris d’água;

– Remover folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas;

– Fechar bem o saco de lixo e deixá-lo fora do alcance de animais;

– Manter a caixa d’água bem fechada. Colocar também uma tela no ladrão da caixa d’água;

– Virar todas as garrafas com a boca para baixo, evitando que acumule água dentro delas;

– Colocar no lixo todo objeto não utilizado que possa acumular água;

– os recicláveis devem ser entregues a ACAMAR;

– Encher de areia até a borda os pratos das plantas ou lavá-los semanalmente com escova;

– Lavar semanalmente por dentro com escova e sabão os tanques utilizados para armazenar água e colocar tela;

– Lavar semanalmente com água e sabão bebedouros de animais;

– Não deixar água acumulada sobre a laje;

– Colocar o lixo em sacos plásticos e manter a lixeira bem fechada;

– Trocar a água dos vasos de plantas aquáticas e lavá-los com escova, água e sabão uma vez por semana;

– os pneus não utilizados devem ser descartados no ECOPONTO que fica no Jardim Santa Isabel, ao lado da ACAMAR;

Dengue no Brasil

Os casos de dengue são um problema em todo o Brasil e têm aumentado ao decorrer dos anos. 2019 terminou com uma média de 206 casos de dengue por hora.

Dados do Ministério da Saúde mostraram no ano passado que foram 1.520.424 casos prováveis (confirmados e suspeitos) da doença, entre janeiro e novembro de 2019. Foram 723,5 casos a cada 100 mil habitantes, com um total de 732 óbitos decorrentes da doença. Em 2018, o país registrou 252.706 casos prováveis de dengue, com 146 óbitos.

O estado de São Paulo foi o que teve maior número de casos, em 2019. Foram 395.930 até o último mês de dezembro. Ainda no ano passado, o estado registrou 262 óbitos. Em 2018, foram 15.708 casos confirmados de dengue, com 14 mortes.

Em Capão Bonito, em 2019, foram 140 casos notificados de dengue, sendo 128 descartados, 12 confirmados e nenhuma morte.