Em meio a crise econômica que afeta grande parte das prefeituras brasileiras, Capão Bonito dá exemplo e mantém em dia o pagamento dos salários e do 13º dos servidores municipais. Atualmente, diversos municípios mal conseguiram realizar o pagamento da primeira parcela do 13º e outras, ainda não acertaram os salários de meses anteriores.

No último sábado, dia 14, o jornal O Estado de São Paulo, um dos mais renomados do país, fez uma reportagem destacando as dificuldades das cidades para evitar os atrasos em pagamentos. Segundo o veículo de comunicação, prefeituras do interior de São Paulo, pela falta de dinheiro, enfrentam dificuldades para pagar em dia os direitos dos funcionários.

“Em Ribeirão Preto, uma das principais cidades do interior paulista, a prefeitura não conseguiu antecipar o pagamento total da primeira parcela do 13º, que era esperado no dia 25 de novembro. Apenas os funcionários da educação receberam a parcela no dia 29 de novembro. Conforme a prefeitura de Ribeirão Preto, o pagamento integral para os servidores da ativa será feito na véspera do Natal, dia 24”, destacou o texto.

Ainda de acordo a reportagem do Estadão, em Apiaí, a prefeitura pagou em dia o 13º, mas está em atraso com 40% dos salários de outubro e ainda deve 100% do salário de novembro, que deveria ter sido depositado até o quinto dia útil deste mês.

Diferentemente desses casos, em Capão Bonito, a prefeitura acertou o pagamento da primeira parcela do 13º de todos os servidores no mês de novembro, e quitou a segunda parcela no último dia 13 de dezembro. Além disso, adiantou também o vale aos funcionários, que estava previsto para o dia 20, para essa terça-feira, dia 17.

Segundo o prefeito Marco Citadini, Capão Bonito, assim como a maior parte dos municípios do Brasil, passa por dificuldades econômicas, reflexo da realidade do país, mas que conseguiu cumprir com as responsabilidades com os servidores, por meio de atos administrativos de responsabilidade.

“Claro que temos dificuldades em nossa cidade, mas o salário e os direitos dos funcionários têm prioridade. Conseguimos desenvolver diversas medidas para manter as contas municipais equilibradas e os pagamentos rigorosamente em dia, inclusive com pagamentos adiantados”, declarou Citadini.