A Escola Municipal Oscar Kurtz Camargo de Capão Bonito decidiu inovar nas práticas de ensino utilizados exemplos do nosso cotidiano para facilitar o aprendizado. Para ilustrar alguns temas de sala de aula, como a regra das quatro operações, o professor Diego Ferreira de Matemática, utilizou a produção de um simples bolo caseiro. A atividade, prendeu a atenção dos alunos do 6º ano E, e atingiu o objetivo de mostrar que aprender pode ser mais fácil do que se imagina, além de divertido e prazeroso.

Além do conteúdo teórico e de outros recursos convencionais como livros e explicações em lousa, os estudantes da Oscar Kurtz puderem conhecer o sistema das quatro operações e frações. A diretora da escola, Isabel Cristina, explicou que a aula prática foi preparada para garantir que seria aproveitado o potencial de aprendizagem. “Os alunos em geral apresentam muita dificuldade com frações, e por isso, pensamos em uma metodologia concreta para ensinar as quatro operações com frações. E quando envolvemos comida no assunto a atenção sempre é dobrada e sem falar que sempre encontramos frações na cozinha”, comentou.

O professor responsável levou uma lousa móvel na cozinha da unidade escolar com dois exemplos de cada operação. Em seguida, pediu para que os alunos anotassem o conteúdo em seus respectivos cadernos. Com o bolo pronto e preparado pela equipe de cozinheiras, o docente de Matemática usou pratos e uma assadeira vazia para exemplificar as resoluções. “Cortamos o bolo em partes sobrepondo os pedaços nos outros. Resolvemos as operações desejadas e construímos juntos com os alunos as conclusões e o passo a passo de cada tipo de operação com frações”, explicou Diego Ferreira.

Para a diretoria da escola o método usando práticas cotidianas facilita o aprendizado. “Adotamos esse método para facilitar o ensino dos alunos. Pensamos que explicar o porquê das resoluções deixa a matemática menos abstrata e mais contextualizada. Além disso, os alunos puderam observar, perguntar e participar”, explicou.

A atividade inovadora despertou curiosidade e estimulou os estudantes. O aluno Bryan Isaias foi um dos aprovaram o novo jeito de ensinar matemática: “Eu achei que a aula foi diferente e um pouco mais fácil de entender. Gostei muito”, disse.

Artes

A professora Gisele Almeida também inovou na metodologia de aprendizado ao transformar na prática, obras bidimensionais do artista Alfredo Volpi, em peças tridimensionais, com os alunos do 6º ano A. (Comunicação-Educação)