Exemplo de gestão em um momento de crise, a Prefeitura Municipal de Capão Bonito fechou o primeiro trimestre de 2019 com as contas em dia, tanto no pagamento a fornecedores, encargos, funcionários e entidades do município.

Diferentemente de muitos municípios brasileiros, Capão Bonito vem se tornando referência de administração pública, mesmo no momento de dificuldade que o país vive.

No último mês de fevereiro, por exemplo, o jornal O Estado de São Paulo publicou uma matéria relatando cidades paulistas que decretaram calamidade financeira. A publicação cita municípios como Mococa, Queluz e Apiaí. A reportagem destacou também que sete estados já decretaram calamidade financeira desde 2016, com salários do funcionalismo atrasados e sem recursos para bancar despesas com saúde. Os estados são Goiás, Roraima, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Capão Bonito também sofre com a atual situação brasileira e não conta com recursos extras, mas por meio de uma gestão responsável, com planejamento e prioridades, o município consegue cumprir seus compromissos e controlar as finanças públicas municipais.

De acordo com a Secretaria de Administração e Finanças, por determinação do prefeito Marco Citadini, estão sendo realizadas ações importantes para equilibrar as contas.

“Estamos fazendo um controle maior nos gastos e nas aquisições desnecessárias. Reduzimos o número de cargos comissionados, controlamos as viagens, o uso de combustível, telefone, energia, água, entre outros. Tudo isso foi essencial para que estejamos hoje quites com as contas públicas”, explicou o secretário Noel Correa Leme.