Neste ano, por determinação do governador João Doria foi anunciado pela Secretaria Estadual de Educação uma mudança no calendário escolar da rede estadual, para ter início em 2020. Com o novo calendário determinado pelo Estado alunos e professores das escolas estaduais terão quatro períodos de férias e recesso durante o ano letivo: uma semana em abril, duas semanas em julho, uma semana em outubro e 30 dias entre dezembro e janeiro.

Diante dessa mudança determinada e que vai ser colocada em prática nas escolas estaduais, a administração municipal decidiu realizar uma reunião preparatória para elaborar um novo planejamento visando uma possível adaptação ao novo calendário.

Na última segunda-feira, dia 07, o prefeito Marco Citadini, juntamente com o presidente da Câmara, Adinan Martins, com os membros da Comissão de Educação da Câmara, formada pelos vereadores Heitor da Gelsa, Neto da Farmácia e Márcio da It’s, reuniu-se com o secretário de Educação, Wagner Santos, acompanhado de supervisores e diretores da Secretaria para juntos, definirem a melhor forma de resolver as dificuldades que serão colocadas com o novo calendário escolar estadual e também para elaborar o um calendário municipal para o ano de 2020.

De acordo com a Secretaria de Educação, a reunião definiu que serão enviadas às escolas municipais e ao Conselho Municipal de Educação, solicitações consultivas para coleta de opiniões dos profissionais da Educação e de pais de alunos, visando criar um calendário apropriado, de acordo ou não com o planejamento estadual.

Conforme explicou o prefeito Marco Citadini, a Prefeitura está realizando esses procedimentos porque está preocupada com a melhor gestão educacional no município, para sofrer o menor impacto possível devido à mudança do calendário novo determinado pelo Governo Estadual.

“O município sempre teve um calendário escolar muito próximo ao da rede estadual. Com essa mudança, temos que alinhar e consultar as escolas, pais e profissionais do setor para definirmos se iremos também aderir ao novo planejamento ou se manteremos o calendário tradicional. Estamos pensando, especialmente, nos pais que estão acostumados ao calendário atual, principalmente àqueles que trabalham e nas dificuldades que eles terão com a mudança”, afirmou.

Em contrapartida, Citadini alegou que, por questões de logística, como da merenda e do transporte escolar de toda rede municipal e estadual serem feitos pela Prefeitura seria importante um estudo para adequação ao novo calendário estadual.

O vereador Márcio da It’s lembrou na reunião que existem milhares de famílias que têm seus filhos estudando na rede estadual e municipal e que um calendário diferente poderia criar muito mais problemas para elas. “Existem famílias que tem os filhos mais novos na rede municipal e os mais velhos na rede estadual. Se optarmos por um calendário diferenciado estas famílias terão os filhos em férias em datas distintas o que ocasionaria um transtorno ainda maior. Não éramos favoráveis à mudança, mas já que ela foi imposta temos que buscar a melhor solução possível”, disse.

O secretário de Educação, Wagner Santos também pediu um parecer sobre quais efeitos pedagógicos a mudança poderá afetar, pois isto também deve ser levado em conta. “Nossos profissionais vão nos dar um parecer sobre o tema, mas todos os fatores devem ser analisados”, alegou.

O vereador Neto Farmácia elogiou o fato de a Prefeitura ter convocado a reunião e ter chamado a Comissão de Educação da Câmara para discutir as soluções para o problema, pois certamente o caso chegaria até o Legislativo. “O prefeito, com o seu gesto, valorizou a Câmara e nos antecipou sobre um problema que poderia chegar até o Legislativo de forma distorcida nas próximas semanas”, ressaltou.

“Nos próximos dias teremos as respostas das escolas municipais e do Conselho Municipal de Educação. É preciso deixar claro que essa possível alteração só está sendo colocada em pauta por causa das mudanças implantadas pelo Estado e, juntamente com profissionais da educação, pais e vereadores, vamos optar pelo melhor planejamento para Capão Bonito e para os capão-bonitenses”, finalizou Citadini.