O prefeito Marco Citadini convocou uma reunião extraordinária na última sexta-feira, dia 11, com a equipe técnica da Secretaria Municipal de Planejamento e da Secretaria da Educação, para discutir os problemas estruturais da Escola Municipal Sumie Baldissera, da Nova Capão Bonito, apontados pela vistoria técnica contratada através do engenheiro Kaizo Sumikawa. Participaram também do encontro o secretário de Educação, Wagner dos Santos, os técnicos da Prefeitura, Eduardo Canepa e Rodrigo Bloes, e o diretor de Planejamento Antônio Queiroz.

O projeto da escola da Nova Capão Bonito, hoje denominada Sumie Baldissera, foi idealizado pela gestão anterior e as obras de construção civil começaram em 2015. Após sua inauguração, começaram a surgir os primeiros problemas na estrutura física da nova Unidade Escolar.

Para isso, a Prefeitura Municipal contratou uma vistoria técnica especializada para obter uma avaliação precisa sobre os danos construtivos apontados pelo levantamento prévio da equipe de engenharia da Municipalidade.

O laudo pericial apresentado à Municipalidade apontou diversos problema na obra estrutural e ainda recomendou a interdição da Unidade Escolar como forma de preservar a segurança de alunos e funcionários que possivelmente, venham a utilizar o espaço após a pandemia da Covid-19.

Segundo o laudo, os problemas de construção apontados foram causados pela “deterioração causada pela estrutura” e “deterioração originada por causada pelo corpo estrutural”. Ainda de acordo com o laudo da engenharia, parte dos danos encontrados deve-se ao sistema de fundação “Sub-dimensionada que não suporta todos os esforços exercidos, implicando desta maneira, o surgimento de trincas e fissuras na escola”, aponta o laudo.

Após a análise do laudo durante o encontro, o prefeito Marco Citadini imediatamente solicitou a notificação à empresa SAG, que iniciou a obra em 2015 e foi a responsável técnica pelos projetos de fundação. “Notifique-se imediatamente a empresa para sanar o mais rápido possível o problema estrutural apontado nesse laudo”, ordenou o prefeito.

Citadini explicou ainda que, segundo o laudo, será preciso um projeto de restauração, incluindo obras de reforço estrutural e sistema de impermeabilização, para garantir a estabilização de estruturas afetadas.