BAIXO IMPACTO AMBIENTAL – A Secretaria Municipal de Agropecuária, Obras e Meio Ambiente (SMAOMA) de Capão Bonito, realizou no dia 26 de março uma aula prática de produção de biofertilizante aos produtores rurais.

Essa foi mais uma iniciativa para sensibilização dos agricultores quanto ao uso de insumos com ótima eficiência e seguindo os princípios sustentabilidade e baixo impacto ambiental.

O biofertilizante é um adubo líquido composto de micro-organismos feito com materiais fáceis de serem encontrados e fica pronto em um tempo relativamente curto. É aplicado via pulverizações nas folhas e solo ou junto com a água de irrigação.

O uso de micro-organismos benefícios aumenta a disponibilidade de nutrientes para as plantas auxiliando no enraizamento, por isso muitas vezes os biofertilizantes são conhecidos como “vivificadores de solo”.

Estava previsto também  uma aula  de compostagem orgânica que teve que ser adiada devido as chuvas que ocorreram no dia.

A importância – A preocupação com o meio ambiente é a cada vez maior nos dias atuais em todos os setores da cadeia produtiva.

A busca por novas práticas, processos e tecnologias agrícolas visando à sustentabilidade tem apresentado ao mundo a agricultura ecológica — também chamada de agricultura orgânica.

Para aqueles que não conhecem essa nova forma de cultivo consiste em um conjunto de práticas que visa um trabalho harmônico e de acordo com todas as Leis da Natureza.

“Quando tratamos do solo, devemos considerá-lo um organismo vivo, sendo a base de toda a produção agrícola. Por isso, devemos dar a ele todas as condições para que as plantas desenvolvam de forma saudável”, explica o secretário de Agropecuária, Obras e Meio Ambiente – Reinaldo Daniel Jr.

Em outras palavras, é necessário estimular ao máximo a vida do solo — microrganismos, fungos e bactérias que são fundamentais para o plantio —, protegê-lo contra as mais diversas intempéries e agregar o máximo de matéria orgânica.

A forma correta de proteger as plantações de insetos e doenças é preveni-las desses agentes naturais dando-as, através do solo, um cultivo saudável e equilibrado.

A forma mais simples e barata de se conseguir isso é através do uso de biofertilizantes — ou adubação orgânica — aplicando tudo o que é necessário para a sua cultura.

O que são biofertilizantes? – O Decreto 4954/2004 do Ministério da Agricultura, que foi alterado pelo Decreto 8384/2014 define biofertilizante como um produto que possua quaisquer princípios ativos ou agentes orgânicos em sua composição, seja isento de agrotóxicos e capaz de atuar no cultivo de plantas de forma a elevar a produtividade e o porte da cultura.

Os biofertilizantes são adubos orgânicos que são submetidos ao processo de fermentação. Eles podem ser oriundos de qualquer tipo de matéria orgânica, facilitando a sua produção, que pode ser até mesmo caseira.

Essa matéria que não provoca nenhum tipo de impacto ambiental é utilizada para a adubação de cobertura ou para o tratamento nutricional de cultura a ser plantada.

Os biofertilizantes são uma ferramenta fundamental para auxiliar o cultivo de plantas sadias sem que ocorra nenhum impacto no ecossistema.

Dentre esses adubos enquadram-se aqueles que proporcionam não somente efeitos nutricionais, mas também fisiológicos e biológicos que aumentam o crescimento e a eficiência com que a cultura aproveita e absorve os nutrientes.

Todos esses detalhes podem ser medidos por meio de indicadores de qualidade do solo, proporcionando um acompanhamento e monitoramento total da plantação.

Quais as vantagens do uso de biofertilizantes na agricultura? – Além do fato de não possuírem agrotóxicos e não produzirem impactos ambientais, os biofertilizantes possuem uma série de vantagens, das quais podem ser destacadas:

  • Aumentam os mecanismos de armazenamento de nutrientes no solo, reduzindo bastante os riscos de excesso de fertilização.
  • Liberam os nutrientes de forma mais lenta e mais compatível com o que a plantação precisa
  • Ajudam a manter a umidade do solo
  • Melhoram a estrutura orgânica do solo
  • Previnem a erosão do solo
  • Possuem menor custo quando comparado aos demais tipos de adubos
  • Os biofertilizantes podem ser feitos até mesmo em casa, não impactam o meio ambiente e garantem uma plantação saudável e com alta produtividade.

Abaixo, segue receita do biofertilizante

Receita do Biofertilizante (para “destravar” a planta, ajudar o enraizamento, tornar os nutrientes disponíveis para a planta)

180 litros de água

5 kg de açúcar

2 litros de leite cru

2 kg de fubá

200 g de amido de milho ou fécula de mandioca

1/2 kg de fermento biológico

18 litros de actinomicetos (folhas da mata esbranquiçado) ou 400 ml de leite fermentado comercial

2 kg de esterco fresco

Dose:

Via solo: 300 a 500 ml /20 litros de água           

Via foliar: 100 a 300 ml/ 20 litros de água JB

Frequência:

Frutíferas – 1 a 2 vezes ao mês

Cereais – 1 vez por mês

Hortaliças e flores – 1 vez a cada 12 dias